20 filmes imperdíveis que retratam a depressão

0
» Assine nosso canal do Youtube e aprenda mais sobre cinema. 🎬 «

Para muitos desinformados, a depressão não passa de “coisa da cabeça” ou besteira. Acontece que depressão existe e é muito mais complexo do que se pode imaginar, ou seja, é COISA SÉRIA. Depressão não é sinônimo de tristeza, é uma doença e merece cuidado e orientação médica.

Pensando nesse “tabu”, resolvemos trazer 20 filmes que retratam a doença de formas variadas para todos aprendermos um pouco mais e saber respeitar o próximo, quem sabe até identificando casos próximos de nós.

Portanto, ajude compartilhando o máximo possível. A arte não serve apenas para nos entreter.

A Felicidade Não Se Compra (1946) | Frank Capra

George Bailey (James Stewart) é um homem que nunca quis seguir a benevolente carreira de banqueiro do seu pai. Ele queria sair, para conhecer o mundo e seus segredos. Porém, por causa da necessidade de todos a seu redor, ele nunca conseguiu realizar o seu sonho. Até que pensou em se matar, por causa de uma dívida, e recebeu uma mãozinha lá de cima…

Se Meu Apartamento Falasse (1960) | Billy Wilder

Bud Baxter é um funcionário de uma companhia de seguros em Nova York que descobriu uma maneira mais rápida de evoluir de cargo: emprestar seu apartamento para que os executivos da empresa levem para lá suas amantes. O problema começa quando Fran Kubelik, uma dessas mulheres, tenta se matar em seu apartamento.

Gente Como a Gente (1980) | Robert Redford

A morte prematura de um dos filhos de Beth causa um grande impacto na família. Porém, Conrad, um dos irmãos, é o mais afetado, considera-se o culpado pela morte de seu irmão e tenta o suicídio. Depois disso Beth leva Conrad para fazer um tratamento psiquiátrico e faz de tudo, junto com o outro irmão, para manter as aparências de que sua família ainda está unida e bem estruturada.

Um Anjo em Minha Mesa (1990) | Jane Campion

Baseado no relato autobiográfico de Janet Frame, uma menina gorducha e tímida é diagnosticada como esquizofrênica e passa oito anos em um sanatório, para se tornar depois uma das mais importantes escritoras da Nova Zelândia.

A Liberdade é Azul (1993) | Krzysztof Kieslowski

Julie Vignon (Juliette Binoche) é uma famosa modelo que decide renunciar à vida após a morte do marido e da filha em um acidente de carro. Porém, depois de uma tentativa frustrada de suicídio, Julie encontra uma obra inacabada do marido, um grande músico, e se interessa por ela.

A paginação para os próximos filmes está logo abaixo. ⬇

Se inscreva no nosso canal, clique aqui.

1 2 3 4
Compartilhe.

Sobre o Autor

Lucas Pilatti Miranda

Fundador e editor-chefe do Canto dos Clássicos, fascinado por música, cinema e uma boa cerveja. Frase preferida do cinema: “A vida passa rápido demais, se você não parar e olhar para ela de vez em quando, pode acabar perdendo.” – Ferris Bueller’s Day Off.