10 livros de J.R.R. Tolkien que você precisa ler

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Quem nunca ouviu falar de “O Hobbit” ou então “O Senhor dos Anéis”? É quase impossível alguém passar batido por esses nomes, são verdadeiros ícones da literatura (e também do cinema). O nome por trás dessas obras é John Ronald Reuel Tolkien, um dos maiores escritores de todos os tempos, e não é exagero afirmar isso.

Tolkien ficou conhecido como o “pai da moderna literatura fantástica” e, além dos dois nomes já citados, nós trouxemos outros 8 títulos que merecem ser lidos desse gênio. Confira nossa lista.

O Hobbit (1937)

Os hobbits são seres muito pequenos, menores do que os anões. São de boa paz, sua única ambição é uma boa terra lavrada e só gostam de lidar com ferramentas manuais. Este livro tem como personagem central o hobbit Bilbo Bolseiro. Ele vive muito tranquilo até que o mago Gandalf e uma companhia de anões o levam numa expedição para resgatar um tesouro guardado por Smaug, um dragão enorme e perigoso.

Mestre Gil de Ham (1949)

Esta divertida história, escrita por J.R.R. Tolkien, é ambientada no vale do Tâmisa, na Inglaterra, num passado maravilhoso e distante, quando ainda existiam gigantes e dragões. Seu herói, Mestre Gil, é na realidade um fazendeiro totalmente desprovido de heroísmo, mas que, graças à boa sorte e à ajuda do cachorro Garm, da égua cinzenta e da espada mágica Caudimordax (ou Morde-cauda), amansa o dragão Chrysophylax e ganha enorme fortuna.

O Senhor dos Anéis – trilogia (1954 – 1954 – 1955)

A Sociedade do Anel

Uma cidadezinha indolente do Condado, um jovem hobbit é encarregado de uma imensa tarefa. Deve empreender uma perigosa viagem através da Terra-Média até as Fendas da Perdição, e lá destruir o Anel do Poder – a única coisa que impede o domínio maléfico do Senhor do Escuro.

As Duas Torres

A comitiva do Anel se divide. Frodo e Sam continuam a viagem, descendo sozinhos o grande Rio Anduin – mas não tão sozinhos assim, pois uma figura misteriosa segue todos os seus passos…

O Retorno do Rei

A Sombra dos exércitos do senhor do escuro cresce cada vez mais. Homens, Anões e Elfos unem-se para luta contra a escuridão. Enquanto isso, Frodo e Sam penetram na terra de mordor, em sua empreitada heróica para destruir o anel.

Árvore e Folha (1964)

Este volume inclui o ensaio Sobre Contos de Fadas e o conto Folha, de Migalha. Em seu ensaio Sobre Contos de Fadas, Tolkien discute a natureza dos contos de fadas e da fantasia e resgata o gênero que alguns pretenderam relegar à literatura infantil. Isso é ilustrado de maneira hábil e refinada por Folha, de Migalha, conto que narra a história do artista, Migalha (Niggle), que “precisa fazer uma longa viagem”, e é visto como uma alegoria à vida de Tolkien.

Smith of Wootton Major (1967)

Na próspera vila de Wootton Major, se aproxima o aguardado Festival de Inverno! Para o Banquete dos Vinte e Quatro, é preparado um bolo mágico, feito apenas a cada 24 anos e apenas vinte e quatro crianças poderiam participar. Esse bolo carrega em uma de suas fatias uma estrela mágica, na verdade um passaporte para Faery, o Reino das Fadas. E o premiado é o jovem Smith, que conhece regiões e maravilhas jamais vistas por olhos mortais. No Reino das Fadas, ele conhece criaturas bondosas, demônios amedrontadores e elfos imponentes com espadas brilhantes que velejavam em seus barcos brancos. Conhece, também, a Rainha das Fadas, e se torna seu mensageiro; uma mensagem deve ser enviada ao Rei!

Cartas do Papai Noel (1976)

Todo mês de dezembro, um envelope com um selo do Polo Norte chegava para os filhos de J. R. R. Tolkien. Dentro dele, uma carta escrita à mão com letra trêmula e estranha e um lindo desenho colorido. Isso tudo era do Papai Noel, narrando histórias incríveis sobre a vida no Polo Norte. Desde a primeira carta para o filho mais velho, em 1920, até a comovente última carta para a caçula, em 1943, este livro reúne todas as memoráveis cartas e desenhos que Tolkien fez para os filhos.

O Silmarillion (1977)

Quando ‘O Senhor dos Anéis’ foi publicado, as histórias de ‘O Silmarillion’ já existiam em suas versões iniciais, escritas em velhos cadernos, muitas vezes às pressas e a lápis. Tolkien trabalhou nesses textos ao longo de toda a sua vida, tornando-os veículo e registro de suas reflexões mais profundas. ‘O Silmarillion’ relata lendas de um passado remoto, ligadas às Silmarils, três gemas perfeitas criadas por Fëanor, o mais talentoso dos elfos. Morgoth, o Senhor do escuro, que habitava a Terra-média, roubou essas pedras preciosas e as engastou em sua coroa de ferro. Para recuperá-las, os altos-elfos travaram uma guerra prolongada e sem esperanças contra o grande Inimigo.

Contos Inacabados de Númenor e da Terra Média (1980)

Contos Inacabados é um conjunto de narrativas que se estendem desde o tempo de O Silmarillion – os Dias Antigos da Terra-média – até o fim da Guerra do Anel em O Senhor dos Anéis. Seus numerosos tesouros incluem o vivaz relato de Gandalf sobre como chegou a enviar os anões à celebrada festa em Bolsão, o surgimento do deus marinho Ulmo diante dos olhos de Tuor na costa de Beleriand, e uma descrição da organização militar dos Cavaleiros de Rohan.

Roverandom (1998)

Em 1925, durante as férias, o pequeno Michael Tolkien perdeu, na praia, um cãozinho de brinquedo que ele adorava. Para consolá-lo, o pai, J. R. R. Tolkien, inventou uma história sobre um cachorro de verdade que é transformado em brinquedo por um mago e enviado por um ‘feiticeiro-da-areia’ à lua e ao fundo do mar. Mais de 70 anos depois, as aventuras do cachorro Rover, também conhecido pelo nome de ‘Roverandom’, foram publicadas na Inglaterra. Elas foram organizadas a partir do texto original por Christina Scull e Wayne G. Hammond.

Os Filhos de Húrin (2007)

Antes da lendária era de o Senhor dos Anéis, um poderoso espírito dominado pelo Senhor do Escuro ameaça a vida dos Filhos de Húrin. Morgoth, o primeiro Senhor do Escuro, habita na vasta fortaleza de Angband, ao norte; e à sombra do temor de Angband e da guerra travada por Morgoth contra os elfos, os destinos de Túrin e de sua irmã Niënor serão tragicamente entrelaçados. A vida breve e apaixonada dos dois irmãos é dominada pelo ódio visceral que Morgoth tinha deles, os filhos de Húrin, o homem que ousara desafiá-lo frente a frente. Contra eles, Morgoth envia seu mais temível servo, Glaurung, um poderoso espírito na forma de um enorme dragão de fogo sem asas, numa tentativa de cumprir sua maldição e destruir os filhos de Húrin.

Quais são os seus livros favoritos de J. R. R. Tolkien? Comente!

Veja também:

– 7 livros de Charles Bukowski que você precisa ler
– 10 livros de Edgar Allan Poe que você precisa ler
– 8 livros de George Orwell que você precisa ler
– 10 livros de Franz Kafka que você precisa ler

Curta a nossa página do Facebook.
Siga nosso Instagram.
Se Inscreva no nosso canal do Youtube.

Espalhe Cultura:

About Author

Lucas Pilatti Miranda

Fundador e editor-chefe do Canto dos Clássicos, fascinado por música, cinema e uma boa cerveja. "A vida passa rápido demais, se você não parar e olhar para ela de vez em quando, pode acabar perdendo." - Ferris Bueller's Day Off.

2 Comentários

Deixe um comentário