10 livros de Franz Kafka que você precisa ler

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Franz Kafka é um imortal da literatura, uma verdadeira lenda que, de fato, existiu. O escritor tcheco nasceu em julho de 1883 em Praga. Existem diversos filmes que foram influenciados pelo artista, seja por sua personalidade, ideais ou é claro, por suas obras. Dentre as principais, eu gosto de destacar “O Processo” e o icônico romance “A Metamorfose”.

Mas além desses, separamos algumas outras histórias que você precisa ler para conhecer ainda melhor o trabalho de Kafka. Confira a lista.

O Processo

O Processo conta o aterrorizante drama de Josef K., o respeitável funcionário de um banco que é preso de modo súbito e estranho e deve defender-se contra uma acusação que nunca lhe é formalmente apresentada e sobre a qual ele não consegue obter informações. Aclamada em todo o mundo, esta história assombrosamente verossímil é uma das mais originais e importantes criações literárias de nosso tempo. Seja ela considerada um conto existencialista, uma paródia ou uma profecia, o fato é que as insuperáveis imagens de Franz Kafka anteciparam os excessos da burocracia e dos regimes totalitários do século XX, assim como a angústia do homem moderno.

A Metamorfose

A Metamorfose é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. O texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante – o famoso Gregor Samsa – transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana – tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.

A Colônia Penal

“A Colônia Penal”, ao lado de “O Processo” e “A Metamorfose”, é um dos trabalhos mais estupendos do gênio Kafka. Os leitores encontrarão nele a síntese de toda uma existência inteiramente dedicada à análise profunda da alma, da sua participação afetiva e efetiva nos acontecimentos humanos, dando a contribuição do pensamento criador que vivifica a matéria. Kafka é um criador no sentido absoluto da palavra; criador de mundos absurdos, a que deu forma, nos quais vivemos sem os compreender, mundos de ideias, sentimentos, temores e angústias, que espremem o amargor de nosso espírito e o preparar para o holocausto, como oferenda votiva a um Absurdo mais alto, que também sentimos sem compreender.

Carta ao Pai

A Carta ao pai é uma peça fascinante da obra de Franz Kafka. Dificilmente algum filho pôde escrever ao pai carta mais pungente do que esta. Nela o grande escritor realiza um ajuste de contas memorável com o tirano familiar Hermann Kafka. O móvel do confronto é uma tentativa de casamento do filho que o pai desaprova, mas o texto abrange toda a relação entre ambos, num ritmo dolorosamente ágil. Como sempre, a capacidade de análise e argumentação do escritor surpreende. Aqui ela transforma uma carta em documento perene da literatura universal.

Um Artista da Fome

Nesse texto distinto, Kafka retrata a história de um artista que passava sua vida fazendo jejum. A sua arte era passar meses sem comer absolutamente nada. Os espetáculos eram grandes e vistosos. Em suas épocas de sucesso, reunia uma grande quantidade de espectadores para assistir às apresentações do artista da fome. Era a grande diversão da época.

O Castelo

No romance O Castelo (1926), nega-se ao agrimensor K (uma contrafigura do autor, que se retrata em todos os seus trabalhos) a permissão de fixar-se em uma aldeia. A proibição é coerente com os critérios das autoridades locais que criam toda espécie de injustiça. Várias de suas obras foram levadas ao cinema com grande sucesso.

Cartas a Milena

E quem era Milena? Na representação social do mundo, ela era a descendente de uma família tradicional da Checoslováquia, que ali constitui o patriciado. Depois da batalha de Weisse Berg um de seus antepassados, ardente patriota, foi executado pelos Habsburgos, e seu nome figura na grande placa de mármore junto à velha Muni-cipalidade de Praga. Em suas veias, pois, corria o sangue ardente dos seus avoengos, inflamados do amor à Pátria e trilhando com galhardia os caminhos da aventura. Ela contava, na época em que conheceu Kafka, vinte e quatro anos bem vividos, sofregamente aproveitados. A sua situação era semelhante à de Kafka. Vivera os seus dias mais felizes em Praga, quando desperdiçou tudo o que possuía de uma maneira incrível: dinheiro e vida, paixões e sentimentos, os seus e aqueles que ela sabia despertar e que, por uma deformação particular de seu caráter quase egoísta, passava a considerar seus próprios sentimentos, propriedade exclusiva de sua alma. Assim, nos anos confusos que se sucederam à guerra, quando a Europa lutava para emergir do caos, e a flor da mocidade européia vinha procurar nos cafés literários o bálsamo para as suas recentes e dolorosas cicatrizes, Milena sofria o seu drama particular, íntimo, e não encontrava naquele ambiente conturbado o lenitivo desejado. Como Kafka, Milena não era feliz em seus amores. Várias tentativas fizera para encontrar a alma gêmea, aquela que se identificasse com a sua. Kafka também fracassara quando pretendera ligar o seu destino ao de outra criatura.

Um Médico Rural

Todas as listas que elegem os melhores escritores do século incluem Franz Kafka (O processo, A metamorfose). Elaboradas por publicações comuns ou especializadas em literatura, elas refletem uma unanimidade rara: Kafka mudou nossa concepção de linguagem literária e criou efetivamente uma perspectiva nova para encarar o mundo. O médico rural é uma das poucas coletâneas que ele publicou em vida. São catorze narrativas que variam bastante em extensão. O vínculo mais imediato entre elas é a convivência do enigma com a escrita clara e da ironia com a expressão lírica. A tradução é do crítico e professor de literatura Modesto Carone.

O Desaparecido ou Amerika

Publicado por Max Brod em 1927 com o título de Amerika , mas designado pelo próprio autor como O desaparecido , este é o primeiro romance de Franz Kafka. Nele, o leitor acompanhará as andanças do jovem Karl Rossmann pelo território norte-americano, desde seu desembarque em Nova York, vindo da Alemanha, até uma insólita viagem de trem rumo ao oeste para juntar-se a uma trupe de teatro. A tradução de Susana Kampff Lages toma por base a edição crítica alemã de 1983 e incorpora fragmentos que nunca constaram das edições anteriores do livro, de modo a proporcionar ao leitor um contato renovado com a poderosa singularidade que constitui a escrita de Kafka.

O Veredicto

O conflito paterno é um dos temas mais caros na obra kafkiana, podendo inclusive atribuir-se a esta obra uma forte projeção pessoal de Kafka que mantinha uma difícil relação com o pai.

Quais são os seus livros favoritos de Franz Kafka? Comente!

Veja também:

– 7 livros de Charles Bukowski que você precisa ler
– 10 livros de Edgar Allan Poe que você precisa ler
– 8 livros de George Orwell que você precisa ler
– 10 livros de J.R.R. Tolkien que você precisa ler

Curta a nossa página do Facebook.
Siga nosso Instagram.
Se Inscreva no nosso canal do Youtube.

Espalhe Cultura:

About Author

Lucas Pilatti Miranda

Fundador e editor-chefe do Canto dos Clássicos, fascinado por música, cinema e uma boa cerveja. Frase preferida do cinema: "A vida passa rápido demais, se você não parar e olhar para ela de vez em quando, pode acabar perdendo." - Ferris Bueller's Day Off.

Deixe um comentário