10 livros imperdíveis para quem adora cinema

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Lanterna Mágica | Ingmar Bergman

29112016_livros_sobre_cinema_10Autobiografia do renomado cineasta sueco Ingmar Bergman, Lanterna mágica é um livro instigante e arrebatador. Entre as passagens mais interessantes, a conturbada relação de Bergman com seu pai, um pastor protestante, e o momento decisivo em que descobriu a magia redentora do cinematógrafo, instrumento capaz de transformar um mentiroso num grande artista. A obra apresenta poucos detalhes sobre os filmes realizados e concentra-se nos pormenores da infância e formação no teatro. No entanto, em todo o livro, a voz do narrador se mantém inconfundível: o tom ácido e sarcástico, característico de Ingmar Bergman.

O Sentido do Filme | Sergei Eisenstein

29112016_livros_sobre_cinema_9Essa coletânea de artigos escritos por Eisenstein durante a Segunda Guerra Mundial e publicados em 1942 faz um balanço de sua atividade até então, examinando o passado e projetando-se para o futuro da montagem cinematográfica. Procurando demonstrar que a montagem é uma propriedade orgânica de todas as artes, O Sentido do Filme investiga a relação entre palavra e imagem; a sincronização dos sentidos; as cores e seus significados; e a correspondência entre forma e conteúdo. O volume traz ainda uma filmografia do cineasta, sugestões de leitura e índice remissivo.

Conheça nosso canal no Youtube


1 2 3 4 5
Espalhe Cultura:

About Author

Lucas Pilatti Miranda

Criador do Canto dos Clássicos, fascinado por música, cinema e uma boa cerveja. "A vida passa rápido demais, se você não parar e olhar para ela de vez em quando, pode acabar perdendo." - Ferris Bueller's Day Off.

1 comentário

  1. Avatar
    João Carlos Fonseca Filho em

    Boa tarde pessoal do Canto dos Clássicos!
    Sugiro também “O Cinema Segundo Bergman”, de Stig Björkman, Torsten Manns e Jonas Sima. É um livro sensacional de entrevistas (aos moldes de Hitchcock/Truffaut). Principalmente pra vocês que gostam muito de Bergman também.
    Outros interessantíssimos: “Esculpir o Tempo”, de Andrei Tarkovski e “A Linguagem Secreta do Cinema”, de Jean-Claude Carrière.
    Vou iniciar “Fazer um Filme”, de Fellini, que dizem que é muito bom também.

    Abraços

Deixe um comentário