O Caso dos 10 Negrinhos (Resenha)

Pinterest LinkedIn Tumblr +

Agatha Christie é uma das escritoras mais famosas do mundo, principalmente dentro do gênero policial/investigativo. Autora de romances e contos, Agatha é uma grande especialista em mistério. Surpreendentemente, eu nunca havia lido nenhuma obra dela até descobrir O Caso dos 10 Negrinhos (1939), cuja sinopse me capturou instantaneamente.

Na verdade, como sempre acontece comigo, conheci o livro através de uma adaptação televisiva intitulada And Then There Were None, que é uma minissérie de 3 episódios da emissora britânica BBC. Após assistir e me apaixonar pelo programa, fui correndo atrás do livro.

O Caso dos 10 Negrinhos – publicado com o nome E Não Sobrou Nenhum em edições mais recentes – conta a história de 10 estranhos que são convocados para uma mansão localizada na misteriosa Ilha do Negro. Nenhum dos convidados conhece ou se lembra do seu anfitrião, Sr. Owen, mas a promessa de dinheiro, trabalho e diversão é o suficiente para convencer todos eles a irem até a ilha. Entre os presentes, se encontram: a secretária Vera Claythorne, o juiz Lawrence Wargrave, o Inspetor William Blore, o aventureiro Philip Lombard, a solteirona Emily Brent, o general John McArthur, o famoso Dr. Edward Armstrong, o jovem festeiro Anthony Marston e o casal de empregados da casa, Thomas e Ethel Rogers.

Os mistérios começam quando Sr. Owen, o suposto anfitrião, não está em lugar algum da casa e não dá indícios de que vai chegar. Logo após o primeiro jantar do grupo, um fato perturbador coloca todos em alerta: um disco toca misteriosamente e nele, uma voz desconhecida acusa todos os 10 hóspedes da casa de assassinato. Aparentemente, Sr. Owen só chamou para sua casa alguém que carrega em suas costas o peso de matar alguém.

A verdadeira ação acontece quando, um por um, os hóspedes da casa são brutalmente assassinados, seguindo as palavras de um assustador poema infantil. Tomados pelo medo e pela paranoia, os personagens não têm em quem confiar. Qualquer um deles pode ser o frio e calculista Sr. Owen, se escondendo em plena vista.

A história é viciante, ganha a atenção do leitor página por página. Quem estaria cometendo aqueles assassinatos e como? A gravação do disco falou a verdade? Todos eles eram, de fato, assassinos? Nesse jogo de gato e rato, a desconfiança e a mentira são os protagonistas. Com uma narrativa fácil, Agatha nos pinta uma história macabra e, ao mesmo tempo, divertida. Apesar da estrutura do texto ser meio confusa – falas dos personagens se confundem com a do narrador em alguns trechos – a leitura flui de maneira rápida e orgânica. O desfecho é surpreendente, deixando claro a tentativa do enredo de mostrar uma mente doentia em busca de justiça.

NA TV

91zoGK88YrL._SL1500_

Sou suspeito para falar de séries, mas And Then There Were None é provavelmente a adaptação mais bem feita que eu já vi! Os personagens, as atuações, a locação e o mistério são preservados de tal forma que você sente veemente que o livro e a série são uma coisa só. Algumas mudanças no roteiro se fizeram necessárias, o que tornou a série ainda mais dinâmica. Mais conflitos, mais confrontos e ainda mais desconfianças. A cena dos 4 últimos sobreviventes dançando bêbados foi uma adição muito acertada na série, assim como a briga entre Dr. Armstrong e Anthony e a atração de Vera por Lombard. Eu geralmente recomendo primeiro o livro, depois suas adaptações. Mas o trabalho da produção da BBC foi impecável e se você quiser fazer como eu e ver a série antes, está mais do que liberado. O destaque fica para o elenco e sua interpretação impecável – em especial Maeve Dermody (Vera) e Toby Stephens (Dr. Armostrong) – que conseguiu imprimir uma profundidade incrível nos personagens, algo que senti muita falta no livro.

Conheça nosso canal no Youtube


8.3 Ótimo.

Intrigante, bem ambientado e sedutor. Não deixe de ler!

  • Personagens 7
  • Enredo 9
  • Feeling 9
  • Escrita 8
Espalhe Cultura:

About Author

Jordan Souza

Naturalmente paranoico, curioso e ri de tudo. Cursa publicidade e quer ser um contador de histórias, seja como escritor, redator ou roteirista. Consumidor compulsivo de seriados de TV, sonhador e cantor de chuveiro.

2 Comentários

  1. Avatar

    Gostei da resenha. Descobri ela ano passado e li dois livros, esse ano quero ler uns 5 dela, pq ainda tenho sherlock pra ler tbm. Achei um lugar alguns audiobooks dela e acho que vou aproveitar pra ouvir alguns tbm.

Deixe um comentário